Túnel de Águas Santas reabre na próxima quinta-feira

A galeria sul do túnel de Águas Santas vai abrir ao público na próxima quinta-feira, 3 de novembro, de acordo com a Brisa, que adianta que os trabalhos de desvio de trânsito vão começar às 21h de quarta-feira, com o acompanhamento da GNR.

A notícia representa um adiantamento face à última previsão da empresa, que estimava abrir os dois túneis apenas no final do ano.

Sendo assim, o trânsito no sublanço da A4 entre Águas Santas e Ermesinde vai circular, a partir do início de novembro, da seguinte forma:
-Na galeria norte (a que está agora em funcionamento) vão circular os condutores que viajem no sentido Amarante-Porto. Numa fase inicial apenas nas duas vias mais à direita, uma vez que as outras duas servirão para as equipas da Brisa deslocalizem iluminação e sinalização para a galeria central (a única que ainda não está pronta).
– Na galeria sul (a que reabre a 3 de novembro) vão, para já, circular todos os condutores que viajem no sentido Porto-Amarante, independentemente da sua origem. No futuro, o objetivo é que o trânsito seja separado. Num dos túneis vão circular os veículos vindos do Porto e no outro os que vêm de Matosinhos.

A Brisa garante ainda que as obras no nó de Ermesinde ficarão concluídas a 31 de outubro, tal como avançado na última previsão. A abertura da galeria central do túnel de Águas Santas, assim como as respetivas ligações ao túnel, deverão estar terminadas até ao final do ano.

Sete anos depois do início das obras de alargamento da A4, duas das maiores cidades “dormitório” da Área Metropolitana do Porto veem assim a ligação à cidade invicta melhorada. O troço serve um grande número de condutores que vivem na Maia e em Valongo.

A requalificação da estrada, que incluiu a construção de um novo túnel, começou em 2015, mas esteve parada devido a uma impugnação judicial. Depois de os trabalhos terem sido retomados, a Brisa apontou o ano de 2020 como meta para o término da empreitada, mas as previsões acabaram por derrapar.

De acordo com os dados do Instituto da Mobilidade e Transportes, consultados pelo Porto Canal, no primeiro trimestre deste ano, as obras nó de Ermesinde, em Valongo, e no túnel de Águas Santas, na Maia, afetaram quase 80 mil condutores por dia.

Notícias relacionadas